Cidade de Sangue Transilvânia

Vampiros nunca saíram de moda. O cinema e a literatura se encarregaram, ao longo de décadas, de assegurar o interesse por esses seres das sombras, que adoram sangue e morrem de medo de uma estaca pontiaguda. Nos últimos meses, depois do lançamento dos livros da norte-americana Stephenie Meyer, que geraram os filmes Crepúsculo e Lua Nova, além de séries de TV como True Blood e Vatnpire Diaries, a moda tomou proporções absurdas.

Mas quem começou tudo isso foi o escritor irlandês Bram Stocker que, em 1897, lançou o livro Drácula, nome de um conde, dono de castelos na Transilvânia. Morram de inveja adeptos da onda vampiresca: eu estive lá e segui os passos do macabro Conde Drácula. Confesso que alguns fatos em minha vida parecem ter conspirado para que eu visitasse a Romênia. Ainda pequeno, ganhei do meu pai uma velha coleção de selos. Numa época sem internet, era por eles que eu viajava pelo mundo. Os mais vistosos eram os romenos. Já a Transilvânia entrou cedo em meu imaginário, por meio dos filmes de vampiro que adorava ver.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.
One Response
  1. josé fernando da silvae.com says:

    desde pequeno que gosto de ouvir esses relatos a respeito do gênero vampiresco mas a lenda continua e agora descobrir que os vamp. está ai mesmo ao nosso lado matando e fazendo todo tipo de barbária e é despercebidos.

    Eles agem as madrugadas nas metropolis todas as noites!!! Se liga turma a lenda tornou-se verídica e real.

Deixe uma resposta