Inauguração oficial do hotel em Santo André

Inauguração oficial do hotel em Santo André

Da escolha do terreno à inauguração oficial do hotel, no Réveillon de 2001, já foram gastos 15 milhões de reais. O resultado, porém, não é pomposo como se poderia imaginar. Seguida à risca pelo arquiteto, a proposta de produzir mínimo impacto na paisagem surtiu efeito. Para quem está na praia, o complexo formado pelas dez suítes, um restaurante, uma piscina e um salão de convenções quase desaparece entre as amendoeiras, deixando à mostra apenas o telhado colonial e as vigas de madeira de lei que o sustentam. O motivo do alto custo das obras só é visível de perto, quando se repara em detalhes como as cerâmicas pintadas à mão do piso da varanda, importado da Espanha, nas paredes revestidas por mármore italiano e na enorme quantidade de vidro usado para aproveitar a vista.

Cada uma das suítes, de 85 metros quadrados, ganhou três janelas avan-tajadas para deixar entrar toda a beleza exterior. No interior, o esmero com o acabamento fica ainda mais evidente. As torneiras douradas do chuveiro, importadas da Inglaterra, produzem uma ducha deliciosa, com pressão de água constante de 80 libras. As toalhas, os lençóis e os edre-dons de puro algodão egípcio foram encomendados à grife Trussardi, de São Paulo. Todos os cômodos são decorados com antigüidades valiosas, como a primeira cris-taleira de jacarandá produzida pelo Liceu de Artes e Ofícios, no Rio de Janeiro, no final do século passado. Uma escultura de bronze de dois marfins, comprada em Florença, ocupa posição de honra no salão de refeições.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta