Archivo para la Categoría » Londres Inglaterra «

Vá para a beira do Tâmisa

Vá para a beira do Tâmisa

As maiores atrações cinematográficas da cidade permanecem, até hoje, os rerratos da swinging London dos anos 60. Seu símbolo maior é o amado Blow-Up – Depois Daquele Beijo (1966), no qual o fotógrafo de moda David Hem-mings descobre, em seu estúdio na Pottery Lane (em Hol-land Park), que, sem perceber, registrou na câmera um assassinato no Parque Maryon (em Charlton). Na fita que trouxe a fama para Michael Caine, Como Conquistar as Mulheres (1966), seu personagem é o esperto Alfie: ele aproveita um canto escurinho da Estação Kings Cross para fazer amor com a bela Siddie, visita a Torre de Londres para pa-querar Ruby, passa a noite no apartamento de Annie na Chepstow Road e, num instante de elevação espiritual, entra na Igreja de Santa Maria (em Battersea).

Os Beatles não poderiam faltar: em Os Reis do Iê-iê-ié (1964), eles são perseguidos pelas fãs na Estação Mary-lebone e em Notting Hill Gate e apresentam-se no clube Les Ambassadeurs (na Hamilton Place) e no Teatro Scala. Na joalheria Aspreys, da New Bond Street, os Fab Four procuram o famoso anel roubado de Ringo em Help! (1965)-Observe a Praça Trafalgar, a velha Ponte de Londres e as quebradas do Piccadilly Circus em Um Lobisomem Americano em Londres (1981). E vá para a beira do Tâmisa e o mercado do porto londrino para ver se ainda acha rastros do assassino de Frenesi (1972), do mestre Alfred Hitchcock.

Adâo e Eva high tech

Aproposta do Projeto Éden, o jardim botânico mais moderno do mundo, inaugurado em meados de março, era estreitar a convivência entre homens e plantas. Mas o que espera as 750 000 pessoas que ali serão aguardadas anualmente é muito mais que isso. Depois de uma visita ao Projeto Éden, é impossível sair indiferente, sem ter pelo menos arriscado uma reflexão sobre como seriam as nossas vidas sem o verde. Construído numa cratera de argila em St. Austell, no sul da Inglaterra, o Projeto Éden hospeda 200 000 árvores e uma variedade de 4 000 plantas originárias de todos os continentes. Disposta num ambiente que inclui uma cascata e um pequeno lago, a flora está distribuída em oito estranhas cúpulas que ocupam uma área equivalente a 35 campos de futebol.

Dependendo da luz que incide sobre o complexo, a impressão que se tem daquelas enormes estruturas de aço, com hexágonos translúcidos e-mendados uns nos outros, muda completamente. Às vezes, lembram bolhas de sabão. Noutras, olhos arregalados de um inseto gigante. Três dos principais climas estão ali representados. A maior das bolhas contém plantas tropicais da Amazônia, da África ocidental e da Oceania. Uma segunda traz a vegetação temperada de regiões americanas e do Mediterrâneo. A flora dos Andes e Himalaia fica numa parte descoberta. Um setor dedicado a climas desér-ticos deverá ser inaugurado em breve.

Londres Inglaterra exposições Earls Court

Londres Inglaterra: além de Nova York, onde há anos está em cartaz o musical Mamma Mia’., que tem todo o seu enredo “amarrado” por canções do Abba, fãs do grupo sueco, que fez grande sucesso nos anos de 1970 e no começo dos de 1980 com hits como Dancing Queen e The Winner Takes. têm mais um endereço para relembrar e até cantar com o quarteto: o centro de exposições londrino Earls Court, que até 28 de março de 2010 abriga a exibição interativa Abba World. Além de lotos, filmes, roupas usadas por Agnelha, Benny, Bjòrn e Frida nos shows e “objetos” como o helicóptero que está na capa do disco Arrivai, sem falar da reprodução de cenários importantes para a banda – como a cabana na beira da praia onde o quarteto compôs muitos de seus grandes sucessos -, a mostra coloca os visitantes no palco com o Abba.