Archivo para la Categoría » Paisagens da america do sul «

Ruinas chan chan

Ruinas chan chan.
PARA CHEGAR LÁ
Localizada a apenas 5 quilômetros a noroeste da cidade de Trujillo, pode-se chegar às ruínas usando as vans que cruzam as esquinas das ruas Espana e industrial, ou Espana e Ejército.
Outra opção é ir de táxi, mais confortável e igualmente barato. O ingresso para Chan Chan custa USS 3,5, e
o sítio arqueológico abre das 9h às 16h30.

Ruinas de Chan Chan

Ruínas de Chan Chan, Peru.
A intrigante cidade de barro do povo chimu.
POR QUE IR? A riqueza histórica e arqueológica do Peru é imensa e vai muito além das misteriosas Linhas de Nazca ou Macchu Pichu, merecidamente famosas mundo afora. Menos conhecidas, mas igualmente intrigantes, são as ruínas da cidade de Chan Chan, simplesmente a maior obra em barro do planeta, abrangendo uma área de 28 km?. Construída pelo povo chimu no século 13, as ruínas são compostas por 15 distintas edificações, formando um conjunto de áreas residenciais e praças. Estudos estimam que no auge da cultura chimu a cidade chegou a abrigar cerca de 60 mil habitantes. A fragilidade das ruínas tem sido castigada com o tempo pela ação do vento e das chuvas. Ainda assim, do topo do mirante erguido para proporcionar uma visão ampla do complexo, Chan Chan assume um aspecto labiríntico impressionante.

Pucon no chile

Pucon no chile.
PARA CHEGAR LÁ
O aeroporto mais próximo de Pucón fica na cidade de Temuco e vôos de aproximadamente uma hora a conectam com a capital, Santiago. De ônibus, o trajeto dura em torno de 12 horas.
De Temuco para Pucón há ônibus diários. A viagem leva cerca de duas horas e a passagem custa entre USS 4 e USS 7.
Dezenas de agências de turismo na cidade oferecem os mais variados roteiros de ação e aventura.

Pucon no chile

Pucón, Chile.
Esportes de aventura aos pés do vulcão.
POR QUE IR? Uma pequena cidade na Região dos Lagos tem aproveitado a natureza privilegiada e desenvolvido uma estrutura turística que a faz cultivar a fama de ser a meca dos esportes de aventura. Pedalar, percorrer trilhas e escalar montanhas. Andar a cavalo, de caiaque, barco ou fazer rafting. Atividades geralmente à beira (ou dentro) do belíssimo Lago Villarica ou em meio à exuberante vegetação dos parques nacionais Villarica e Huerquehue, tendo, quase sempre, ao fundo o imponente Vulcão Villarica, com seu cume eternamente coberto de neve e diariamente soltando fumaça. Os meses de verão trazem, junto com a temperatura mais agradável, uma enxurrada de chilenos de outras regiões do país. O número de estrangeiros atraídos por essa cidadezinha de de 10 mil habitantes também cresce ano a ano. Ah…e no inverno tem ainda esqui, snowboarding…

Uruguai pontos turisticos

Uruguai pontos turisticos.
PARA CHEGAR LA…
– A cidade localiza-se a 50 km de Buenos Aires e a 180 km de Montevidéu.
– ônibus das empresas COT e Turil ligam Colônia à capital uruguaia em cerca de três horas, com diversas saídas ao dia.
m Partindo de Buenos Aires, pode-se atravessar o Rio da Prata em ferry boat. O tempo de viagem depende da embarcação, variando de 45 minutos até três horas.

Colônia de Sacramento

Colônia de Sacramento, Uruguai Histórias de guerra e paz.
POR QUE IR? A mais antiga cidade uruguaia é portuguesa, com certeza. Numa época em que os espanhóis dominavam Buenos Aires, os lusos, situados na outra margem do Rio da Prata, fundaram, em 1680, aquela que se tornaria uma simpática cidade colonial do Uruguai. As lembranças das muitas batalhas travadas entre Portugal e Espanha, ao longo dos séculos 17 e 18, estão atualmente expostas ao relento no Bairro Histórico de Colônia de Sacramento, a mais interessante região a ser conhecida pelo visitante. Entre ruas estreitas de pedra e casas decoradas com os típicos azulejos portugueses, pode-se reviver os períodos conflituosos ao admirar as ruínas da antiga muralha que protegia a cidade, pontilhada por diversas bastiones – fortificações situadas à margem do rio, cuja função era garantir a defesa dos ataques inimigos. Em meio aos escombros, um ou outro canhão repousa. Hoje em dia, todo esse histórico de tensão não passa de reminiscências para a tranqüila e pacata Colônia de Sacramento.

San Augustin

PARA CHEGAR LÁ.
Ônibus ligam a cidade de San Augustin com a capital, Bogotá, diariamente, numa viagem de aproximadamente 12 horas.
A passagem custa em torno de US$ 25.
O ingresso para o Parque Arqueológico, aberto das 8h às I6h, é válido por dois dias e custa US$ 4.
Planeje ficar três dias em San Augustin. Dois deles para visitar o Parque Arqueológico e mais um para conhecer as belezas da região.

San Augustin Colombia

San Augustin, Colômbia.
Viagem a um grande mistério.
POR QUE IR? Escondidas e esquecidas entre montanhas verdes no sudoeste da Colômbia repousam figuras esculpidas em pedra vulcânica há mais de 500 anos por desconhecidos povos que habitaram essa região dos Andes. Pouco se sabe a respeito das culturas que viveram em San Augustin e não mais existiam quando da chegada do explorador europeu. Há mais de 500 estátuas que representam homens, ou máscaras de monstros, ou, ainda assemelham-se a animais, como o jaguar e o sapo. Além do mistério indecifrado de San Augustin, o visitante terá um prazer adicional: as intocadas paisagens e os vales férteis e exuberantes da região em que se localizam as misteriosas esculturas.

Otavalos

Otavalos.
PARA CHEGAR LA.
As empresas Trans Otavalo e Los Lagos ligam diariamente a cidade de Otavalo com
a capital do Equador, numa viagem de aproximadamente três horas.
o trajeto é belíssimo e vale muito a pena fazê-lo à luz do dia. Se o tempo estiver aberto, é possível avistar os vulcões imbabura e Cotacachi.

Ilha de boipeba

Ilha de Boipeba, Brasil.
A Bahia que ainda fica longe de tudo.
PARA CHEGAR LÁ.
Boipeba fica a 205 km ao norte de Ilhéus ou 155 km ao sul de Salvador.
A opção mais fácil para desembarcar na ilha é usar os barcos que partem da cidade de valença ou Torrinha.
Partindo de valença, a viagem de escuna dura quatro horas. Em lancha rápida, apenas uma.
De Torrinha para Boipeba, as escunas gastam em torno de duas horas e meia.