Archivo para la Categoría » Turismo em marrocos «

Tudo sobre Marrocos

COMO CHEGAR:
Não há vôos diretos. A Ibéria (0800-7707900, com conexão em Madri, voa a Casablanca por USS 828 (até 16 de junho e depois de 17 de julho). A Air France (0800-8889955, ), com conexão em Paris, voa a Rabat, Marrakesh e Casablanca por USS 974. É bom saber que a low fare Easyjet (easyjetcom) tem Madri-Casablanca por cerca de €S 20 (trecho, com impostos)
QUEM LEVA:
A Higland (11/3254-4999) tem 11 noites com carro e guia próprios por € 3 270. Fica-se em hotéis cinco-es-trelas (e um quatro-estrelas, no Saara). A Nascimento (11/3156-9944,  faz três roteiros pelo país. O mais completo, de dez noites, leva às não tão óbvias Ouarzazate, Erfoud e Essaouirae custa USS 2 339 A Marsans (.21/2106-6700) tem sete noites em Madri, Fez, Marrakesh, Rabat e Tânger por USS 2 389, para em barques no Rio. Consulte também seu agente de viagens.
VISTO:
Brasileiros não precisam de visto para ficar até três meses no pais. O passaporte deve ter validade mínima de seis meses. Para dirigir, pede-se habilitação internacional e idade mínima de 21 anos.
DINHEIRO:
O dirham éa moeda local. Um real vale DhS 4,12; o euro, DhS 11 Há muitos lugares que não aceitam cartões de crédito.
CARRO:
Alugar carro na Espanha é melhor. Na easyCar presente nos dois países, a diferença é de € 100 (uma semana). Lembre-se do custo do ferry, cerca de € 100 (carro e uma pessoa). Reserve a balsa com antecedência pelo . As estradas marroquinas não têm buracos. Há as pe-dagiadas, perfeitas, e as nacionais,

O Nissan no Marrocos

MOTOR:
O X-Trail da viagem tem motor 2.2 diesel (no Brasil, a versão disponível é 2.5 gasolina). Com 136 cavalos de potência, foi eficaz no asfalto e nas trilhas. O motor não é silencioso, característica dos carros desse segmento.
VIDA A BORDO:
O X-Trail é um off-road compacto, mas com bom espaço interno e porta-malas com capacidade para 350 litros que acomoda bem as bagagens com a ajuda de redes. Seu interior tem bancos de couro, o painel, conta-giros e um rádio-CD. Fez muita falta uma bússola.
DESEMPENHO:
Economia é o forte dos carros a diesel, como este X-Trail. O câmbio de seis marchas ajudou na média de 16 km/litro. A autonomia de 960 quilômetros deu tranqüilidade em pontos remotos do Marrocos. Em 2 700 quilômetros rodados no país, o único problema foi um pneu furado.

Ouarzazate Marrocos

OUARZAZATE.
FICAR: Dirigido por um casal de espanhóis, o Dar Kamar (Taourirt, 45, 88-8733,  diárias desde € 120, Cc M, V) tem 12 quartos com ar-condi-cionado e internet, além de hammam e um terraço. Dentro dos estúdios Atlas, o Oscars (Route de Marrakesh – Ouarzazate, Km 5,88-2485; diárias desde € 40) é para loucos por cinema Budget é o Amlal (Rue de Marchée, 24,88-4030; desde € 30), com quartos limpos e estacionamento.
COMER: Restaurante das celebridades locais, o Chez Dimitri (Avenue Mohamed V, 22,88-7346; Cc: M, V) tem ótimo tajine de frango com damasco ou figo. Mais distante, o Relais Saint-Exupéry (Bou-levard Moulay Abdellah, 14,88-7779,  Cc V) mistura a cozinha do Marrocos com a do Bordeaux, terra do chéfjean Pierre. Prove a vitela com arroz e mel.
PASSEAR: A Hollywood marroquina pode ser vista no estúdio Atlas (88-2212, I0h/i8h; € 3), onde foram rodados Gladiador e Lawrence da Arábia.

MERZOUGA Marrocos

MERZOUGA.
No deserto, o Kasbah Derkaoua (Route de Rissani, 57-7140, kasbahderkaoua com; desde € 80, com meia-pensão) tem 20 quartos. O Les Hommes Bleu (61/35-3687; diárias desde € 250, com meia-pensão; Cc: todos), um forte árabe cenografia), disponibiliza quartos e tendas. O hotel leva a acampamentos no Saara a € 50

Marrakesh Marrocos

MARRAKESH.
Ficar:
Hotel credenciado à rede Relais & Chateaux, o belo Villa des Oran-gers (Rue Sidi Mimoun, 6, 38-4638; desde € 295, Cc: A, M, V) fica entre o mercado e o palácio, no centro de Marrakesh. O Les Jardins de Ia Medina (Derb Chtou-ka, 21,381851; diárias desde € 220; Cc: A, M e V) está em lindo prédio no centro histórico. O jardim com palmeiras e oliveiras é arrebatador Intimista, o Riad Malika(Arset Aouzal, 29,38-5451, riadmalikacom; diárias desde € 100, com meia-pensão; Cc: M, V) tem ape nas oito quartos e três suítes. Barato é o Jnane Mogador(Riad Zitoune Kedim, 116, Derb Sidi Bouloukat, 42-6323; diárias desde € 38; Cc A, M, V), com 16 quartos e terraços com vista para o “frege” da medina. Administrado por uma francesa, o albergue Riad Aladdin (Derb Touareg-Berrima, 6-7,38-6425; diárias desde € 130, Cc: M, V), com 17 quartos, tem serviço “à ocidental”. Adeptos das trilhas de jipe e moto encontram ali informação abalizada sobre rotas na região. O pequeno Le Gallia (Rue de Ia Recette, 30,44-5913; diárias desde € 50) tem alguns quartos com terraços privados e está na área central.
COMER:
Num antigo palácio, o Dar Zellij (Sidi Benslimane, 38-2627; Cc A, M, V) serve à noite tajine, cuscuz e pastilla por cerca de € 30. Aos sábados, show de música andaluza O Le Bô-Zin (Douar Lahna, na route de Lourika s/n, 38-8012, bo-zin.com; Cc A, M, V), um pouco distante do centro, é legal à noite, com DJs e pratos leves, como tajine de peixe e cuscuz vegetariano. Aconchegante é o Le Tobsil (Derb Moulay Abdallah ben Hezzaien, 22, perto de Bab Ksour, 44-4052, Cc M, V), com 14 mesas e cozinha marroquina com acento francês. Menus a preço fixo de € 45 – com direito a aperitivo e vinho. Faça reserva.
PASSEAR:
A grande atração de Marrakesh é a Mesquita Koutobia (sáb/5á, 8(130/ 11(145; I4h30/I7h45- € 0,85) e seu mi-narete de 69 metros de altura.

Fez marrocos

FEZ.
Ficar:
Com vista fabulosa da cidade antiga o Riad Maison Bleue (Derb el Miter, 33,74-1873, diárias desde € 175; Cc: A, M, V) é a filial de um dos mais tradicionais hotéis de Fez. Os 11 quartos ficam ao redor de um jardim em estilo andaluz com laranjeiras. Pequenino, o Riad Louna (Derb Serraj, 21,74-1985, riadlouna com; diárias desde € 70; Cc: M, V) está numa casa do século 14 – em bom estado. Os banheiros são individuais jà O Ryad Mabrouka (Derb el Miter, 25,63-6345,   diárias desde € 85; Cc: M, V) é uma “es-talagem” muito charmosa.
Comer:
O La Kasbah (próximo a Bab Bouje-loud, 74-1533) tem menus completos por € 10, com direito a chá de men-ta no fim da refeição.
Passear:
O sítio arqueológico da antiga cidade romana de Volubilis (cerca de 50 km a oeste de Mekhnès; € 2), é um dos passeios bacanas da região. Apesar de parte de seus edifícios ter sido saqueada, podem-se ver ainda as ruínas do Arco do Triunfo – construído em 217 em homenagem ao imperador Caracala -, o fórum e a basílica. Se quiser a companhia de um guia que fala francês, prepare-se para desembolsar € 10, preço negociável.

Marrocos essaouira

ESSAOUIRA.
Ficar:
À beira-mar, o Sofitel Thalassa Moga-dor (Boulevard Mohammed V, s/n, 47-9000, desde € 211; Cc: A, M, V) tem 117 quartos e spa com ta-lassoterapia já o L’Heure Bleue (Rue Ibn Batouta, 2,78-3434, heure-bleue. com; diárias desde € 280; Cc: A, M, V), dentro da medina, ocupa um palácio adaptado. Tem 35 quartos, piscina aquecida, hamman (banho turco) e salão de bilhar. O Palazzo Desde-mona (Rue Youssef El Fassi, 12-14,47-2227,  diárias desde € 76), na medina, ocupa um prédio que pertenceu aos sul-tões da região.
Comer:
O El Pátio (Rue Moulay Rachid, 28,47 4166; Cc: M, V) é um lugar para se encantar com a ambientação medieval – e com os frutos do mar. Gasto médio por pessoa, com vinho, € 25. No Les Alizes (Rue de Ia Skala, 26,47-6819) come-se bem com € 10. A concorrência pelas mesas é grande. A pastilla (especialidade local) é ótima Servem vinho por € 9, em média. Dentro da medina o Ramses (Rue Iben Roched, s/n, perto da praça central, 47-2139; Cc: M, V) é chique e barato. Pratos marroquinos desde € 7.

Marrocos chefchaouen

CHEFCHAOUEN.
Ficar:
Ótimo custo/beneficio tem o Casa Hassan (Rue Targui, 22, 98-6153, ; diárias desde € 65, em meia-pensão), com oito quartos, cada um com decoração própria, e sauna em todos os banheiros. O Dar Terrae (Rue Targui, s/n, 98-7598; diárias desde € 32) tem seis quartos com terraço e lareira privativos.
Comer:
O La Lampe Magique (Uta el-Hamman, 98-9071, lalam pe-magique.abcsal les. ma) tem pratos típicos como o taji-ne de carneiro a €S 7.

Casablanca marrocos

Pra lá de Marrakesh estão Casablanca, ao norte, e Essaouira, a oeste. Meu conselho: não perca tempo com Casablanca, a cidade do amor noir de Humphrey Bogart e Ingrid Bergman. Ela é uma metrópole feiosa, sem um Sam para tocar As Time Gocs by só para você. Se é para ter uma referência cinematográfica bacana, opte por Essaouira, onde o cineasta americano Orson Weles filmou seu genial Otbcllo. São 176 quilômetros pelas N 8 e R 207 desde Marrakesh. Famosa entre os mochilei-ros, Essaouira é a cidade de praia mais charmosa do Marrocos. Dos pescadores de sardinha voltando do mar ao forte português no porto, sobram argumentos para se deixar ficar por ali.
Os 740 quilômetros até Ceuta podem ser vencidos por auto-estra-da pedagiada e rápida. Os primeiros 250, até El-Jadi-da, no entanto, são pela simples N 1 (há uma opção litorânea também, a R 301). Já na vizinhança de Tânger, vale conhecer Asilah. Ela também foi portuguesa por cerca de 100 anos, entre os séculos 15 e 16, e, no século 20, pertenceu ao Marrocos Espanhol – a independência do país só foi reconhecida em 1956. Por isso a presença de hoteleiros e donos de restaurantes espanhóis é marcante. Para quem curte história, ali perto está a cidade de Ksar el Kibir, ou Alcácer Quebir. A famosa batalha que se travou ali é, para muitos, formadora do caráter português, que chora a partida e tem saudade. Foi lá, em 1578, que o rei Sebastião desapareceu sem deixar rastros, criando o mito do sebastianismo -a crença que um dia ele voltaria gloriosamente -, implodindo a dinastia de Avis e legando Portugal a 60 anos de jugo espanhol. Mas, hoje, no lugar do conflito não há nada que marque a passagem do monarca.

Visitar marrocos

Depois de ter passado por Fez, Meknès e Mer-zouga, Ouarzazate, com 60 mil habitantes e avenidas largas, não causa grande comoção. Mas ali estão os quatro maiores estúdios de cinema do país. Num deles, o Atlas, foram rodados Gladiador, Kun-dun e Lawrence da Arábia. Tudo por causa da luz, das paisagens espetaculares e, claro, o baixo custo de produção. O Atlas pode ser visitado se não houver filmagens/Mais distante (32 quilômetros ao norte, com acesso pela N 9) está uma atração a não se perder: o castelo de Ait Benhaddou, o mais bonito do Marrocos. Há um trecho de terra a ser enfrentado – dá um trabalhão no volante.
A caminho do mar já na rota de volta para Ceuta, Marrakesh, a 200 quilômetros, é uma escala certa pela N 9. Cheia de casas e muros avermelhados, a cidade tem trânsito caótico – como Nápoles, não é um lugar car-friendly. Novamente a melhor estratégia para conhecer coisas como o Koutobia, a mesquita com o famoso minarete de 69 metros de altura (altura equivalente à da catedral de Notre-Dame, de Paris), e a praça Djeema-el-Fna e seus encantadores de serpente é a pé mesmo. Embora não seja possível descartar o centro de Marrakesh de qualquer roteiro básico pelo Marrocos, você talvez já esteja satisfeito com o que viu em Fez. Nesse caso, tome a acanhada R 203 e, 60 quilômetros ao sul, alcance Oukaimeden, a 2 600 metros de altura, a mais badalada estação de esqui marroquina.