Tag-Archivo para » um amor de verão «

Meu amor de verão

MINHA VIAGEM.
Amor arretado.
Para o Dia dos Namorados, uma história de amor de verão que não só subiu a serra, mas chegou ao continente.
Viajei para Fernando de Noronha com Lia, minha amiga, depois de terminar um namoro de quatro anos. Na Praia da Conceição, dois rapazes aproximaram-se para pedir informações. Não pudemos ajudar, mas meus olhos cruzaram, intensamente, com os de Hélio. Algum tempo depois os dois reapareceram. Caminharam conosco pela praia, mergulhamos na Baía dos Porcos e assistimos ao pôr-do-sol no mirante. Assim tudo começou.
Meus quatro dias em Noronha viraram uma semana Perdi os vôos para Recife e Maceió, para onde iria depois. E o fim de semana de Hélio, que é de Natal, virou seis dias. Mas tudo acaba. No último dia dele, ficamos de nos despedir no porto, já que eu havia agendado um passeio de barco. Ele não apareceu. Não tinha seu telefone e nunca mais nos veríamos, pensei. O barco já estava distante da costa quando alguém apressado desce pelas pedras: era Hélio. “O namorado dela ficou para trás”, disse Lia a Eliú, o barqueiro. Ele decidiu voltar. Quando nos aproximamos do porto, foi cena de filme: Hélio mergulhou na água e subiu no barco. Sob aplausos, nos beijamos e, ali, nos despedimos. No dia seguinte, embarquei para Recife, mas meu avião parou para abastecer em Natal. “Quem é Andréa?”, anunciou o comissário no alto-falante. Alguém me esperava e fui autorizada a descer. Era Hélio. E ele me pediu em casamento. Não consegui responder, já no Recife, falamos por horas ao telefone. Soube de toda a sua história. Ele estava solteiro havia uma semana, depois de nove anos de casado e de três filhos. Não queria confusão.
Ao chegar em Maceió, recebi flores. Hélio não aceitou meu “não” e me encontrou lá. Curtimos mais quatro dias e nos despedimos sob lágrimas. Estava decidida. Pedi para ele não me procurar, mas o destino não quis. Passei em um concurso público, em Natal, depois de muito dinheiro gasto com passagens e telefonemas. Enfrentei as vontades da minha tradicional família mineira e fui morar com Hélio. Estamos casados há seis anos. No aniversário de um ano? Fomos para Noronha, claro.